Conheça a Cidade de Lyon e Suas Belezas na França

Lyon - França

Conhecendo a Cidade de Lyon em um dia

É possível conhecer a cidade de Lyon, França, em um dia?

A cada ano os milhares de turistas que invadem a parte Sul da França, acabam sendo “pegos” por um funil no meio do caminho: Lyon.

A parte velha de Lyon acabou de ser reconhecida como patrimônio mundial.

Com suas torres medievais, vilas renascentistas e restaurantes por todo lado, a cidade tem mais a oferecer do que só um fim de semana.

E se você só tivesse um único dia pra visita-la durante sua viagem?

LyonCoração Gastronômico da França

Caminhar pelo centro confuso e desordenado da velha Lyon, faz ficar óbvio o porquê de a cidade merecer o título de “coração gastronômico da França”.

Place Neuve St Jean, com seus paralelepípedos, é o melhor lugar para começar um passeio pela velha Lyon – uma mistura de mansões renascentistas, corredores estreitos e dúzias de restaurantes.

Vários prédios de Lyon foram construídos por mercadores de seda italianos, que invadiram a cidade na idade média.

Virando à esquerda na Rua St Jean, parando no número 27, está uma das características mais famosas de Lyon – o “traboule”, ou passagem tipo túnel. Você encontra umas 300 delas em meio às construções antigas, construídas para facilitar o trânsito da seda durante tempos chuvosos.

Durante a guerra, os “traboules” ajudaram muito o movimento de Resistência a fugir da Gestapo, liderada por Klaus Barbie – o conhecido “açougueiro de Lyon”.

As entradas geralmente não são marcadas. Um mapa grátis que você consegue na secretaria de turismo vai te ajudar a circular por ali.

Aperto a campainha para abrir a porta do traboule. Ao sair na Rue de Trois Maries, eu viro à esquerda e entro no traboule número 2 e… pronto: estou de volta onde comecei o passeio.

Viro à direita em direção à Place du Governement, depois vou em direção à Place du Change – antiga bolsa de valores. Há vários restaurantes por ali, apesar do prato comum – tripa, pé de porco, e cabeça de veado – não ser bem a minha praia.

Relógio astronômico do século 14

Me sentindo meio enjoado, eu parto pra a Rua du Boeuf onde, no número 27, encontro a entrada para o traboule mais longo de Lyon. Na saída, vou para a Cathedrale St Jean. A atração ali é o relógio astronômico do século 14 – uma incrível obra de engenharia construída por monges para calcular milhares de dias de banquetes.

O relógio é tão preciso quanto qualquer outra forma atual de medir o tempo. Com um detalhe: o programa original foi feito para durar uns poucos… 700 anos, e vai terminar em 2019!

Como o relógio só funciona a partir do meio-dia, eu viro à esquerda na Cathedral, e pego a segunda à direita para a entrada de Fourvière.

Esfrego meus olhos quando olho pra cima, para a montanha – a Tour Metallique lá em cima é, meio que, uma versão menor da Torre Eiffel. Agora, a grande estrela da montanha é mesmo a Basilique de Fourvière – uma igreja monumental do século XIX.

Um caminho por trás da igreja me leva de volta pra onde comecei. Almoço no Comptoir du Boeuf.

Há muita opção de carne na cidade, além de peixes e, principalmente, “quenelles” (bolinhos de carne ou peixe, bem condimentados).

Também por ali, há uma variedade de bistrôs e brasseries com as comidas típicas de Lyon: os chamados “bouchons”.

Nos velhos tempos, calculava-se sua conta pela quantidade de rolhas das garrafas de vinho servidas.

Hora do Almoço

“Aqui a gente ainda tira umas três horas”… pra almoçar. Sentar meio sonolento no sol. Uma golada num expresso… O restaurante, ainda cheio, e ninguém parece disposto a voltar pro trabalho.

Como um “traidor”, eu pago a conta e volto ao meu passeio pela Velha Lyon. Pego o tram (trem elétrico) para Croix Rousse, troco em Bellecour (linha A) e Hotel de Ville (linha C). Croix Rousse é o antigo bairro dos tecelões.

Em 1538, o Rei François deu a um artesão o direito de produzir roupas. Da noite para o dia, Lyon tornou-se a capital da seda na Europa.

Me perco em Croix Rousse. Acabo saindo na Place des Terreaux, em Presqu’ille (quase uma ilha) com formato de sanduiche, entre os rios Saone e Rhone.  Tudo bem – Place de Terreaux é o melhor lugar pra um café da tarde.

 Lyon a noite

Lyon em 24 Horas

Há movimento e vida 24 horas por dia, por toda Lyon. Muito, por causa do grande número de jovens que estudam na cidade, vindos das várias partes do mundo.

Comparar Lyon à Paris deixa o pessoal de lá um tanto “enciumado”.

Depois de sentir cheiros deliciosos de comida, a cada esquina que passo, já estou morrendo de fome novamente. Um bouchon é uma ótima pedida!

Pessoas falando alto, risadas escancaradas… Não consigo evitar: entro no clima, e relaxo. Vai ser uma ótima noite. Em Lyon, sempre é.

Veja outros artigos como este >>> Viagens Internacionais.

Deixe seu comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.